Correndo

Direto da terra do Mopho, uma matéria bacana sobre psicodelia brasileira.
Talvez os barulhos da metrópole tenham contribuído. Mas o fato é que, antes de gerar os Mutantes, a cidade de São Paulo ouviu em primeira mão os ruídos iniciais da psicodelia brasileira. Segundo aponta o jornalista Fernando Rosa, no site Senhor F, um dos mais completos na Internet sobre o assunto, “as primeiras manifestações psicodélicas ocorreram em São Paulo, por meio de grupos como The Beatniks, Os Baobás e The Galaxies. (…)

Passada a fase inicial, a partir de 1974 a psicodelia brasileira é misturada a novos ingredientes sonoros. Depois do rock and roll e da MPB, foi a vez do jazz, do erudito, da música regional e do rock progressivo experimentarem o gosto ácido da lisergia. Surgem então grupos originários desta receita: Som Nosso de Cada Dia, A Barca do Sol, Vímana – integrado por Ritchie, Lobão e Lulu Santos -, Veludo, Ave Sangria, Som Imaginário, Flaviola e o Bando do Sol. (…)
Leia mais aqui.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s