Trabalho que é bom nunca acaba

A Aline postou no comecinho do mês dizendo que estava no final mas NÃO! Agora é que, se Jah quiser, estamos na semana derradeira.

Escrever um livro dá trabalho, visse? E MUITO. Ainda mais um livro megalomaníaco, com fotos, cd e etc. Faz um mês que dormimos 4 horas por noite e  já deu pra todo mundo ficar doente. Eu fiquei três vezes em um mês. A Aline, judiação, três vezes em uma semana. A Ana tá com olheiras imensas. A gente não consegue mais convesar, hahaha. Achávamos que terminando as escritas estaríamos tranquilas, mas não. Começou a produção, garimpar fotos, fazer legendas, últimos e chatos detalhes. O querido Thiago está dando uma força com a diagramação, ele começou oficialmente no final de semana e estamos ansiosas pra saber como sairá o primeiro capítulo pronto, o Módulo 1000. É hoje que veremos a cara da criança.

Quanto à apresentação, sim, haverá uma apresentação em dezembro, mas como não fechamos a banca, ainda não definimos a data. Infelizmente o Massari não participará por problemas de agenda; Mautner, nosso fiel cavaleiro, tb tem shows… mas em uma conversa informal ele se mostrou bem interessado em nos ajudar com o projeto. Agora a gente tá vendo outros possíveis participantes – de cara, pensamos no Charles Gavin, Pedro Alexandre Sanches e no Ricardo Alexandre. Vamos ver.

Somos também questionadas sobre como as pessoas podem ter acesso ao livro. Bom, por enquanto a tiragem é beeeeeem limitada e cara, já que estamos pagando tudo do nosso bolso e este é, em primeiro lugar, um trabalho acadêmico. Quando tivermos o arquivo fechado, diagramado e apresentado, vamos correr atrás de gráfica, editora e etc, para imprimir uma tiragem maior. Tomara que role. Mas, por enquanto, é um passo de cada vez.

Como diria o Dan, homenageado do dia, tá foda, véio. 

“Venha, que eu te pago um trago
E faço a cabeça, do jeito que der
Eu tenho pressa e na certa
No fim da conversa
Quem sabe um segundo a mais

Longe tão longe
Milhas daqui, meu pensamento voa longe

Sim, eu estou tão cansado
Um ponto distante, tentando encontrar
Meu porto seguro, a dose perfeita
O ultimo trem”

“Tão longe”, dos alagoanos mais queridos do Brasil

Tati


2 Comentários on “Trabalho que é bom nunca acaba”

  1. quasi disse:

    nada como um doce pra refrescar a mente…

  2. alineridolfi disse:

    todo mundo adooooooooooora o livro, a idéia, os personagens, acham o máximo… avaliar que é bom nada… e a bola da vez é: Charles Gavin. Boto fé


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s