Geração Bendita!

O nome do nosso livro vem de do filme “Geração Bendita”, um filme hippie (o primeiro do Brasil) gravado em Nova Friburgo (RJ), com trilha sonora do grupo Spectrum.

Se você está de bobeira neste domingo, dá uma olhadinha… vale como experiência! rs

Anúncios

Modulo 1000

Módulo 1000 – Psicodelia do Rio de Janeiro (Quem tiver esse vinil pra vender… avisa?)


Museu do Disco relança álbuns dos anos 70

Publiquei originalmente no Passiflora, mas aqui vai:

“Em busca do tempo perdido”, de O peso, “Nada no Escuro”, de Cezar de Mercês, “Gerson King Combo”, dele mesmo, “Jorge Mautner”, dele mesmo, “Amazonas”, de Naná Vasconcelos, “Aprender a nadar”, de Jards Macalé e outros álbuns raros dos anos 70 voltarão ao mercado a partir de fevereiro.

A idéia é do garimpador e empreendedor Valmir Zuzzi, que acaba de transformar o histórico sebo Museu do Disco em selo. Carlos Calado dá a notícia na Folha de hoje, eu me animei e fui investigar. Os álbuns serão relançados da maneira mais honesta possível: capas originais, encartes com a letra e, oba, textos de Ezequiel Neves, o lendário crítico de música desbundado (mais conhecido, limitadamente, por ter sido parceiro da Cazuza). Os discos lançados pelo Museu do Disco terão tiragem de mil exemplares e serão vendidos inicialmente na própria loja Museu do Disco, em lojas especializadas e em capitais. Serão dois títulos por mês, a partir da segunda quinzena de fevereiro.

A seguir, entrevista rápida por email que fiz hoje mesmo com Valmir Zuzzi, o responsável pela empreitada:

Como foi a seleção das obras a serem relançadas?
A parceria com o Museu do Disco é um namoro de anos. Pra convencer o Nazare (Avedissian – dono do MD) a lançar produtos nacionais não foi fácil. Mas, com o tempo, ele percebeu que se tratavam de disco raros e cedeu. Fiz uma lista grande de títulos e solicitamos à gravadora algumas prioridades. Como são discos antigos, alguns contratos precisam ser revistos com maior cuidado e outros já foram liberados rapidamente. Assim montamos esse primeiro lote de 12 cds.

Em tempos de crise no mercado fonográfico, lançar cds não é difícil?
Quem é comprador de discos não tem época, compra mesmo, quer ter o original. Se não tem o original vai o alternativo (cópia), o importante é ter. Eu sou assim. Alguns desses títulos nunca foram lançados em cds, outros já estão fora de catálogo e quando saíram, sumiram rapidamente. Baseado nisso, você ainda tem um público fiel que compra e como as tiragens não são astronômicas, não precisa ter muita coragem, é só trabalhar.

Há patrocínio? Ou foi na cara e na coragem?
Não tem patrocinio nenhum, apenas uma parceria, Museu do Disco e Rock Company
(meu selo há 17 anos).

E a produção, como foi? Vi que Ezequiel Neves escreverá nos encartes, como foi esse contato?
O Ezequiel é muito amigo do Nazaré desde os anos 70, eu não sabia disso. Quando soube, a idéia foi imediata. O Nazaré não conversava com ele há anos, então foi divertido esse reencontro (por telefone), muitas risadas e histórias. O Zeca aceitou na hora e já mandou dois textos fantásticos, bem anos 70.

Zeca Jagger trabalhou direitinho? Como foi a convivência? Ele gostou do trabalho?
Trabalhou e quer mais. Ainda não falei com ele, meu contato é apenas por e-mail de um amigo.

E as capas, como serão?
As capas serão todas originais e com letras. Comprei muitos LPs por causa da capa, prezo muito por elas.

Você entrou em contato com os artistas? O que eles pensam do relançamento?
Falei com o pessoal do Peso (Geraldo D’Arbilly e Constant Papineanu). Eles parecem moleques, estão felizes. Imagina, esse disco tem 34 anos e nunca foi relançado. O Constant revisou as letras. O Cezar de Mercês está participando ativamente do relançamento do disco que completa 30 anos, está super feliz. Com os outros ainda não tive contato. O processo de relançar é diretamente com a gravadora e editora, solicitamos os títulos, pagamos os direitos e elas (gravadora/editora) repassam aos artistas/autores.

Há algum outro projeto futuro?
Sim, solicitamos muitos títulos raros e estamos esperando apenas a liberação. No segundo semestre vem mais coisa boa.


Sem barato

Tá, é um mês de atraso, mas vale o registro: o Som Barato. O blog funcionou por quase dois anos, dispinibilizando mais de 2 mil (!) discos para download. Tinha de tudo: blockbusters, raridades, sambas, psicodelias, rocks, xaxados, de novos e velhos, de grandes e pequenos. Sem mais nem menos, alegando pirataria, a justiça fechou o blog. Acabou com a farra. Farra no bom sentido: quase um milhão de pessoas usavam o blog para se informar sobre música e conhecer novos sons. Essas pessoas vão dixar de fazer donwloads? Não, vão usar o emule, soulseek ou qualquer outro blog. É idiotice pensar que fechar um blog acabará com a transferência ilegal de músicas, porque isso já faz parte da internet! Ou a justiça revê a legislação ou vai ficar assim, enxugando gelo, para sempre.

Não é preciso nem dizer que esse blog e o nosso livro só existem porque pesquisadores musicais – como o Fábio do BrNuggets – dedicaram tempo para achar bolachas raras e disponibilizá-las na net. Quantas pessoas, antes disso, ouviam Ave Sangria? Colocar esses sons na rede só democratizou o acesso a uma coisa bacana que estava restrita aos poucos sortudos que tinham as bolachas.

E se fechassem o nosso blog também, só porque damos os links dos downloads?
Todo o trabalho de pesquisa e jornalismo aqui seria perdido, por uma arbitrariedade idiota. O que consola é que os próprios músicos – a maioria dos bons, felizmente – já percebeu que lutar contra a internet não leva a lugar nenhum.

Para protestar contra o fechamento do blog, o pessoal do Som Barato criou esse blog aqui: www.sembarato.blogspot.com.

Leia aqui entrevista (antiga) com Nruno Rodrigues, idealizador do Som Barato, aqui.

UPDATE: Entrevista muitíssimo pertinente com Lawrence Lessig,
criador do Creative Commons, publicada hoje na Folha Online.

Tati


Maior coleção de discos está à venda!

Direto da gringolândia…

Dono de loja põe à venda suposta maior coleção de discos do mundo

Aficionado de Pittsburgh tem mais de três milhões de álbuns.
Acervo está à venda no eBay por um lance inicial de US$ 3 milhões.

Do G1, em São Paulo
Divulgação
O colecionador de discos Paul Mawhinney. (Foto: Divulgação)

O dono da loja Record-Rama, em Pittsburgh, colocou seu acervo de três milhões de discos – incluindo LPs de 78 rotações, EPs e compactos de 45 polegadas, além de 300 mil CDs – à venda no site eBay. O lance mínimo é de US$ 3 milhões. Esta seria supostamente a maior coleção de discos do mundo – seu valor é estimado em mais de US$ 50 milhões.

Segundo nota publicada no blog “Mental Floss”, Paul Mawhinney decidiu se desfazer dos discos devido a problemas de saúde. Sua vontade é que as peças permaneçam juntas, em um museu ou arquivo musical.

Para estimular possíveis compradores, Mawhinney criou um site sobre a coleção. Entre outras informações, diz a página virtual que todos os gêneros da música americana estão representados: rock, jazz, country, R&B, blues, new age, folk, e até músicas de natal e canções infantis.

A coleção foi adquirida pelo dono ao longo de 50 anos. O blog aconselha: são mais de seis milhões de músicas. “Ao preço inicial, cada faixa custa US$ 0,50 – mais barato do que no iTunes.”

Quem topar uma vaquinha… estamos aí! rs

Aline 


Teste a sua psicodelia!

Um amigo que tem muito o que fazer lá na editora Abril deu uma fuçadinha nos arquivos da Bizz e achou o seguinte teste! Valeu meu querido pinguim! 😉

Enjoy,

Aline

PUBLICAÇÃO: ShowBizz  DATA: 00/03/1997 EDIÇÃO: 140  PÁG.: 86 

Você já experimentou?

O rock psicodélico faz trinta
anos e quem embarca na viagem é
você, com este teste ácido

 1. Em 1969, o guitarrista Jimi Hendrix montou a Band Of Gypsies ao lado do baixista Billy Cox e o baterista Buddy Miles. Cox foi colega de Hendrix no exército. Os dois:
 a) Serviram como atiradores de elite
 b) Serviram como pára-quedistas
 c) Serviram como garçons nas festas dos oficiais
 d) Serviram de fornecedores de lança-perfume
 e) Não serviram pra nada, estavam doidões

2. Os Beatles mudaram os rumos da música em 1967, com o lançamento de Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band. Muitas das idéias desse disco foram aproveitadas de um álbum clássico de uma banda americana. Qual?
 a) The Pink Sphyncter, dos Honchos
 b) Pet Sounds, dos Beach Boys
 c) Press More And She Will Fart, dos Troggs
 d) Are You Experienced, Jimi Hendrix
 e) Pet Sounds, dos Beach Boys
 
 3. Frank Zappa ironizou o modo de vida dos hippies em We’re Only In It For The Money. Mas em 1963, ele já causava espanto ao aparecer num programa de calouros:
 a) Fantasiado de Girafa Priápica
 b) Inventando a dança da garrafa
 c) Mostrando a obra “Concerto Para Bicicleta”
 d) Peidando as sete notas musicais
 e) Fazendo um solo de trinta minutos
 
 4. O grupo Buffalo Springfield durou apenas três anos (de 1966 a 1969), mas dois de seus integrantes tiveram vida longa no rock’n’roll: Stephen Stills e Neil Young. Stills foi recusado numa banda famosa por “não ter o visual adequado”. Qual banda?
 a) Village People
 6) The Besuntated Dwarfs
 c) Carrapicho
 d) The Byrds
 e) Monkees
 
 5. Janis Joplin, ao lado da banda Big Brother And The Holding Company, arrebentou no Festival de Monterrey, em 1967. O álbum deles, Cheap Thrills, teve a capa desenhada por um cartunista famoso. Quem?
 a) Alex Raymond
 b) Carlos Zéfiro
 c) W. Epaa
 d) Walt Disney
 e) Robert Crumb
 
 6. Syd Barrett, Roger Waters, Nick Mason e Rick Wright eram estudantes de arquitetura em Londres quando, em 1964, decidiram formar o Pink Floyd. Três anos depois eles lançaram The Piper At The Gates Of Dawn, obra-prima do rock lisérgico. O nome Pink Floyd foi tirado:
 a) De uma viagem de cola de sapateiro
 b) Do livro O Senhor Dos Anéis De Couro
 c) De dois bluesmen, ídolos de Syd Barrett
 d) Da música “Pink Floyd Dropping From My Dick”
 e) De um tipo de ácido lisérgico

 7. The Byrds era um grupo influenciado por folk e country music cujos quatro primeiros discos são considerados clássicos. Qual a música deles tocada pelo grupo punk Husker Dü?
 a) “Mr. Tambourine Man”
 b) “Sorry Somehow”
 c) “Essa Nega Tá Fedendo”
 d) “Eight Miles High”
 e) “I Feel A Whole Lot Better”

 8. Surrealistic Pillow, o álbum de estréia do Jefferson Airplane, vendeu meio milhão de cópias em 1967. Nos anos 80, seu vocalista Marty Balin teve uma canção regravada por uma cantora brasileira. O nome dela:
 a) Marina
 b) Angela Rô Rô
 c) Edson Cordeiro
 d) Lady Zu
 e) Marisa Monte

 9. Em 1967, o grupo inglês The Who lançou Sell Out, um disco que satirizava a publicidade. A participação deles em Woodstock foi histórica. Tudo porque Pete Townshend:
 a) Gritou “Uêpa” e bailou salsa e merengue
 b) Tocou o hino nacional americano
 c) Tocou a 5ª Sinfonia de Beethoven
 d) Expulsou um líder hippie a golpes de guitarra
 e) Masturbou-se em frente às câmeras, de olho no bumbum de Roger Daltrey

 10. O Cream misturava blues pesado com solos longos e repletos de virtuosismo. Qual era a sua formação?
 a) Jimmy Page (guitarra); Keith Moon (bateria) e John Entwistle (baixo)
 b) Eric Clapton (guitarra); Ginger Baker (bateria) e Jack Bruce (baixo)
 c) Jeff Beck (guitarra); Ginger Baker (bateria) e Chris Dreja (baixo)
 d) Eric Clapton (guitarra); Keith Moon (bateria) e Dé (baixo)
 e) Jeff Beck (guitarra); Leospa (bateria) e Ricky Martin (por baixo)
 
 11. Liderado por Arthur Lee (guitarra e vocais), o grupo californiano Love tem como obra-prima o álbum Forever Changes (1968). Uma das faixas do disco foi regravada por uma banda de hard rock. A música e a banda são, respectivamente:
 a) “Alone Again Or”, U.F.O.
 b) “Toys In The Attic”, Aerosmith
 c) “Infinite Highway”, Capital Inicial
 d) “Rebel Maniac”, Viper
 e) “Just My Imagination”, Rolling Stones

 12. Liderado pelo guitarrista Jerry Garcia, o Grateful Dead é um dos símbolos do rock psicodélico. A legião de fãs malucos que acompanha o grupo por todo canto virou lenda também, sendo apelidada…
 a) Shitheads
 b) Braindeads
 c) Grateful Kids
 d) Bungholes
 e) Deadheads

TESTE DO PH CEREBRAL
 

12 acertos – Alka-Seltzer
 Você é o antiácido em forma de gente. Se sabe tudo isso, é porque não viveu a experiência. Botou debaixo da língua, mas não tragou.

 8 a 11 acertos – Patetinha
 Sua margem de acertos é de 3/4 (sempre uma boa fração, não é mesmo?)

 4 a 7 acertos – Danoninho
 Levemente acidulado, você tem lactobacilos vivos na memória.

 O a 3 acertos – Derretidão
 Você viu o circo pegar fogo dentro do seu próprio cérebro.

 Respostas: 1-b • 2-b • 3-c • 4-e • 5-e • 6-c • 7-d • 8-a •  9-a • 10-b • 11-a • 12-e